SINDRACSE

Montagem criada Bloggif

Seguidores

gerador de texto

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Palestra Outubro Rosa

 A UBS 3 em 1,Nossa Senhora de Fátima,Bancários e ZU Silva realizou palestra em comemoração ao Novembro Azul  a palestra fui proferida por DR Jean e os acadêmicos de enfermagem do Itec Sousa PB. 


Anualmente, no Brasil e em outros países do mundo, é realizada a Campanha Novembro Azul. Ela é similar aoOutubro Rasa, mas o seu foco está no Câncer que mais tem matado os homens, o Câncer de Próstata. Essa Indispensável Campanha tem como objetivo Conscientizar o Público Masculino sobre a importância Prevenção e de fazer Exames Periodicamente.
Depois que você terminar essa breve leitura, você poderá Solicitar uma Exclusiva Palestra do Grupo Saber é Saúdesobre esse Importante Tema e levar essa conscientização para a sua Empresa, Escola ou Igreja! Diante disso, leia esse artigo até o fim e junte-se a nossa missão!
Esse tipo de câncer fica atrás apenas do câncer de pele que não é melanoma entre os homens! De acordo com estatísticas realizadas, entre seis homens um deles possui essa temível doença! Este é um número alarmanteque mostra o quanto que a população masculina deve se prevenir para ter mais saúde e qualidade de vida!
Quando essa doença é descoberta em estágio avançado a medicina, por mais avançada que esteja, não consegue fazer muita coisa pelo paciente! Com isso o homem e sua família sofrem demais! Mas tudo isso poderia ser evitado ou minimizado se os exames fossem feitos anualmente!
Existem diversos tipos de exames que o homem pode fazer com o intuito de descobrir a doença. PSAurina,ultrassom e biópsia além do exame de toque são as opções existentes. Ou seja, não há mais desculpas para evitar o cuidado com a própria saúde! Mas, a falta de informação sobre esses exames acaba prejudicando muitos!
Esse é justamente o objetivo desta campanha: informar a sociedade em geral, mas com foco no homem sobre aimportância da prevenção! Não é preciso fazer todos os exames, apenas um ou dois para complementar é o suficiente para obter o diagnóstico!

O que é a Campanha Novembro Azul?

Poucos sabem que a Campanha Novembro Azul surgiu na Austrália em 2003 com o movimento chamadoMovember! No Brasil, essa Campanha foi criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida!
Ter consciência sobre a importância de se prevenir e diagnosticar precocemente o câncer de próstata é todo mundo precisa ter! Essa doença não provoca sintomas como muitos homens imaginam! Infelizmente, ela é silenciosa e quando o homem percebe que tem alguma coisa errada com ele é quando seu estágio já está muito avançado!
Qualquer tipo de câncer quando é diagnosticado em estágio avançado é muito mais difícil de tratar e as chances de cura são reduzidas! Então, por que não se prevenir e fazer exames regularmente? Isso ajuda a descobrir essa doença na fase inicial e como consequência a chance de cura é muito maior!

Qual é a missão de uma Campanha Novembro Azul?

Todos os anos essa campanha é realizada no mês de Novembro! Tudo é feito de forma a chamar a atenção da sociedade em geral, mas seu foco principal são os homens de todas as idades!
Durante todo o mês, são realizadas diversas atividades como PalestrasCorridasIntervenções em Eventos PopularesIluminação de Pontos Turísticos entre outras coisas para que a sociedade pare um pouco sua rotina epreste atenção na própria saúde! Afinal, a prevenção é tão importante quanto o tratamento do câncer e você e eu sabemos que as chances de cura são maiores no estágio inicial da doença!
Seu objetivo principal é conscientizar o homem sobre a importância da prevenção e de fazer o exame de câncer de próstata regularmente. Isso pode ser feito em qualquer época do ano tanto na rede pública quanto na rede privada de saúde. Basta apenas que o homem procure uma unidade de saúde e comunique sua intenção de se prevenir!
Diversos países já adotaram o Movember em seu calendário que vai além de uma campanha de conscientização! São feitas reuniões entre o público masculino sempre cultivando o símbolo da campanha, o bigode! Além de debaterem sobre o câncer de próstata, outras doenças também entram em pauta como a depressão e o câncer nos bagos, por exemplo.

Média de homens Afetados pelo Câncer de Próstata

Realmente não dá para brincar com coisa séria e os números comprovam isso. Para se ter uma ideia, o câncer de próstata atinge 10% dos homens que possuem 50 anos e 30% dos que completaram 70 anos. O Inca fez um levantamento em 2016 e segundo o mesmo foram 61.200 novos casos de homens diagnosticados com a doença!
Este instituto ainda realizou um estudo que apontou que somente na capital de São Paulo foram 3.600 novos casos! Em todo o país, são pelo menos 12 milhões de homens com idade superior a 50 anos e desses 12 milhões estima-se que cerca de 2 milhões terão o câncer de próstata. Infelizmente, a cada 18 homens diagnosticados, três deles possivelmente morrerão.
O diagnóstico precoce feito por meio de exames preventivos aumentam a taxa de sobrevida dos pacientes! Quando ocâncer de próstata está nos estágios iniciais não é sentido qualquer sintoma. Mas, é justamente nesse período que essa doença possui uma taxa de cura muito alta.
É por essa razão que é fundamental fazer os exames preventivos e daí a importância da Campanha Novembro Azul. Os homens que já passaram dos 45 anos devem fazer o exame de toque retal com o urologista. O PSAserve para complementar o diagnóstico. Isso deve ser feito a cada ano.
Já aqueles que possuem casos deste tipo de câncer na família precisam fazer esses dois exames já a partir dos 40 anos.







 FONTE: Grupo Saber É Saúde 




sexta-feira, 6 de outubro de 2017

O SINDRACS Sindicato regional dos profissionais Agentes Comunitários de Saúde e de combate as Endemias de Sousa e Região,parabeniza o prefeito de Sousa, Fábio Tyrone e sua equipe pela festa dos acs.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Secretaria de Saúde entrega uniforme e equipamento de trabalho aos Agentes Comunitários de Saúde

Postado em: 05/10/2017

A Prefeitura Municipal de Sousa, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realizou entrega de fardamento e balança portátil para os Agentes Comunitários de Saúde.
O Prefeito Fábio Tyrone, ladeado da Secretária Municipal de Sousa de Saúde, Amanda Silveira, Coordenadora da Atenção Básica do Programa Saúde da Família (PSF), Andressa Dantas e a Coordenadora do Núcleo de Apoio à Saúde da Família NASF, Alessandra Teixeira Braga, participou do evento e elogiou o desempenho dos profissionais.
Para celebrar a entrega dos equipamentos aos profissionais, foi oferecido um coffee break. “Os nossos Agentes de Saúde desempenham um papel fundamental no nosso município. “Agora com a entrega desse material tenho certeza que vai ser ainda melhor. Nós ainda vamos fazer muito por Sousa, principalmente por essa área da saúde que é tão importante”, destacou o Prefeito Tyrone. 
Tyrone ainda ressaltou a importância do serviço que é desenvolvido pelas equipes de saúde e afirmou que nesta administração a prefeitura sempre vai oferecer as melhores condições de trabalho aos Agentes Comunitários de Saúde do município.
“É de fundamental importância que busquemos sempre mais e o melhor para dar maior qualidade ao serviço de saúde do nosso município. Me sinto muito feliz em poder acompanhar esse momento da entrega do fardamento e equipamento. Juntos conseguiremos ótimos resultados, os agentes desempenham um trabalho relevante que é destinado à sociedade”, destacou a Secretária Municipal de Saúde, Amanda Silveira.

Prefeitura Municipal de Sousa
Secretaria de Comunicação - FONTE: SECOM

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

SAIBA TUDO COMO FICOU AS ATRIBUIÇÕES DOS ACS E DOS ACE E A DOS DOIS JUNTOS, APÓS A NOVA PORTARIA DO PNAB.

SAIBA TUDO COMO FICOU AS ATRIBUIÇÕES DOS ACS E DOS ACE E A DOS DOIS JUNTOS, APÓS A NOVA PORTARIA DO PNAB.

PORTARIA GM N. 2.436, DE 21 DE SETEMBRO DE 2017
4.2.6- Agente Comunitário de Saúde (ACS) e Agente de Combate a Endemias (ACE)
Seguindo o pressuposto de que Atenção Básica e Vigilância em Saúde devem se unir para a adequada identificação de problemas de saúde nos territórios e o planejamento de estratégias de intervenção clínica e sanitária mais efetivas e eficazes, orienta-se que as atividades específicas dos agentes de saúde (ACS e ACE) devem ser integradas.
Assim, além das atribuições comuns a todos os profissionais da equipe de AB, são atribuições dos ACS e ACE:
a)Atribuições comuns do ACS e ACE
I.- Realizar diagnóstico demográfico, social, cultural, ambiental, epidemiológico e sanitário do território em que atuam, contribuindo para o processo de territorialização e mapeamento da área de atuação da equipe;
II.- Desenvolver atividades de promoção da saúde, de prevenção de doenças e agravos, em especial aqueles mais prevalentes no território, e de vigilância em saúde, por meio de visitas domiciliares regulares e de ações educativas individuais e coletivas, na UBS, no domicílio e outros espaços da comunidade, incluindo a investigação epidemiológica de casos suspeitos de doenças e agravos junto a outros profissionais da equipe quando necessário;
III.- Realizar visitas domiciliares com periodicidade estabelecida no planejamento da equipe e conforme as necessidades de saúde da população, para o monitoramento da situação das famílias e indivíduos do território, com especial atenção às pessoas com agravos e condições que necessitem de maior número de visitas domiciliares;
IV.- Identificar e registrar situações que interfiram no curso das doenças ou que tenham importância epidemiológica relacionada aos fatores ambientais, realizando, quando necessário, bloqueio de transmissão de doenças infecciosas e agravos;
V.- Orientar a comunidade sobre sintomas, riscos e agentes transmissores de doenças e medidas de prevenção individual e coletiva;
VI. Identificar casos suspeitos de doenças e agravos, encaminhar os usuários para a unidade de saúde de referência, registrar e comunicar o fato à autoridade de saúde responsável pelo território;
VII.- Informar e mobilizar a comunidade para desenvolver medidas simples de manejo ambiental e outras formas de intervenção no ambiente para o controle de vetores;
VIII.- Conhecer o funcionamento das ações e serviços do seu território e orientar as pessoas quanto à utilização dos serviços de saúde disponíveis;
IX.- Estimular a participação da comunidade nas políticas públicas voltadas para a área da saúde;
X.- Identificar parceiros e recursos na comunidade que possam potencializar ações intersetoriais de relevância para a promoção da qualidade de vida da população, como ações e programas de educação, esporte e lazer, assistência social, entre outros; e
XI.- Exercer outras atribuições que lhes sejam atribuídas por legislação específica da categoria, ou outra normativa instituída pelo gestor federal, municipal ou do Distrito Federal.
b)Atribuições do ACS:
I- Trabalhar com adscrição de indivíduos e famílias em base geográfica definida e cadastrar todas as pessoas de sua área, mantendo os dados atualizados no sistema de informação da Atenção Básica vigente, utilizando-os de forma sistemática, com apoio da equipe, para a análise da situação de saúde, considerando as características sociais, econômicas, culturais, demográficas e epidemiológicas do território, e priorizando as situações a serem acompanhadas no planejamento local;
II – Utilizar instrumentos para a coleta de informações que apoiem no diagnóstico demográfico e sociocultural da comunidade;
III – Registrar, para fins de planejamento e acompanhamento das ações de saúde, os dados de nascimentos, óbitos, doenças e outros agravos à saúde, garantido o sigilo ético;
IV – Desenvolver ações que busquem a integração entre a equipe de saúde e a população adscrita à UBS, considerando as características e as finalidades do trabalho de acompanhamento de indivíduos e grupos sociais ou coletividades;
V – Informar os usuários sobre as datas e horários de consultas e exames agendados;
VI – Participar dos processos de regulação a partir da Atenção Básica para acompanhamento das necessidades dos usuários no que diz respeito a agendamentos ou desistências de consultas e exames solicitados;
VII – Exercer outras atribuições que lhes sejam atribuídas por legislação específica da categoria, ou outra normativa instituída pelo gestor federal, municipal ou do Distrito Federal.
Poderão ser consideradas, ainda, atividades do Agente Comunitário de Saúde, a serem realizadas em caráter excepcional, assistidas por profissional de saúde de nível superior, membro da equipe, após treinamento específico e fornecimento de equipamentos adequados, em sua base geográfica de atuação, encaminhando o paciente para a unidade de saúde de referência.
I – aferir a pressão arterial, inclusive no domicílio, com o objetivo de promover saúde e prevenir doenças e agravos;
II – realizar a medição da glicemia capilar, inclusive no domicílio, para o acompanhamento dos casos diagnosticados de diabetes mellitus e segundo projeto terapêutico prescrito pelas equipes que atuam na Atenção Básica;
III- aferição da temperatura axilar, durante a visita domiciliar;
IV – realizar técnicas limpas de curativo, que são realizadas com material limpo, água corrente ou soro fisiológico e cobertura estéril, com uso de coberturas passivas, que somente cobre a ferida; e
V – orientação e apoio, em domicílio, para a correta administração da medicação do paciente em situação de vulnerabilidade.
Importante ressaltar que os ACS só realizarão a execução dos procedimentos que requeiram capacidade técnica específica se detiverem a respectiva formação, respeitada autorização legal.
c)Atribuições do ACE:
I – Executar ações de campo para pesquisa entomológica, malacológica ou coleta de reservatórios de doenças;
II.- Realizar cadastramento e atualização da base de imóveis para planejamento e definição de estratégias de prevenção, intervenção e controle de doenças, incluindo, dentre outros, o recenseamento de animais e levantamento de índice amostral tecnicamente indicado;
III. Executar ações de controle de doenças utilizando as medidas de controle químico, biológico, manejo ambiental e outras ações de manejo integrado de vetores;
IV.- Realizar e manter atualizados os mapas, croquis e o reconhecimento geográfico de seu território; e
V.- Executar ações de campo em projetos que visem avaliar novas metodologias de intervenção para prevenção e controle de doenças; e
VI.- Exercer outras atribuições que lhes sejam atribuídas por legislação específica da categoria, ou outra normativa instituída pelo gestor federal, municipal ou do Distrito Federal.
O ACS e o ACE devem compor uma equipe de Atenção Básica (eAB) ou uma equipe de Saúde da Família (eSF) e serem coordenados por profissionais de saúde de nível superior realizado de forma compartilhada entre a Atenção Básica e a Vigilância em Saúde. Nas localidades em que não houver cobertura por equipe de Atenção Básica (eAB) ou equipe de Saúde da Família (eSF), o ACS deve se vincular à equipe da Estratégia de Agentes Comunitários de Saúde (EACS). Já o ACE, nesses casos, deve ser vinculado à equipe de vigilância em saúde do município e sua supervisão técnica deve ser realizada por profissional com comprovada capacidade técnica, podendo estar vinculado à equipe de atenção básica, ou saúde da família, ou a outro serviço a ser definido pelo gestor local.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Zenildo se reúne com Agentes Comunitários de Saúde e anuncia melhoria para a categoria.



Postado em: 20/09/2017
O Prefeito em exercício, Zenildo Oliveira, ladeado da Secretária municipal de Saúde, Amanda Silveira; Coordenadora do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), Yohana Silveira; coordenadora de saúde bucal das unidades de saúde, Lindete Virgínio, coordenador Júnior Abreu, da Central de consultas e demais servidores do setor da saúde, manteve reunião com os Agentes Comunitários de Saúde – ACS’s. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (20), na Secretaria Municipal de Educação.
Na ocasião, o Prefeito ouviu as demandas apresentadas pelos ACS’s e pontuou os investimentos na saúde pública do município. Zenildo garantiu aos ACS’s um novo fardamento, bolsa e melhoria nas Unidades Básica de Saúde -UBS’s para melhorar as condições de trabalho da categoria.
Segundo o Prefeito, a administração está dialogando com todas as categorias para que os serviços sejam desenvolvidos de boa qualidade. "São reuniões de trabalho onde é possível dialogar e ouvir as reivindicações dos servidores. É uma nova maneira de fazer uma boa gestão municipal, estamos avançando a cada momento", frisou. 
Zenildo acrescentou que o diálogo com os ACS’s é importante em razão desses profissionais desempenharem um trabalho relevante. "Esse quadro de servidores é muito importante para as famílias que estão em cada lugar do nosso município.  Nós precisamos que a saúde chegue em todos os setores com qualidade, eficiência e atendendo as necessidades das pessoas que mais precisam. Sabemos que a doença não espera, estamos agindo com comprometimento com a realização de exames, entrega de medicamentos, atendimentos, entre outras ações", destacou.  


“A reunião foi bastante positiva e os pleitos da categoria foram debatidos pelo Executivo Municipal”, avaliou a Secretária de Saúde, Amanda Silveira.  Ainda de acordo com ela, a gestão municipal tem o intuito de valorizar a categoria oferecendo melhores condições de trabalho. "Em breve vamos entregar um novo fardamento, bolsa, balança de precisão e protetor solar. Estamos empenhados para dar mais estrutura aos profissionais que cuidam das pessoas nas comunidades", pontuou.
                                        FONTE: DECOM

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Cofen alerta sobre risco de atribuir a agentes de Saúde função de Enfermagem




Ministro promete reservar atribuições aos agentes com formação em Enfermagem e buscar alterações no PLC 56/2017
Ricardo Barros solicitou nota técnica ao Cofen e prometeu apoiar mudanças no PLC 56/2017
O ministro da Saúde Ricardo Barros assegurou ao presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Manoel Neri, que apenas agentes comunitários da Saúde com formação técnica em Enfermagem realizarão procedimentos como verificação de sinais vitais, teste de glicemia e curativos – atividades asseguradas pela Lei 7.498/86, que dispõe sobre o exercício profissional da Enfermagem.

A audiência, realizada nesta quinta-feira (14/09), em Brasília, discutiu a nova Política Nacional da Atenção Básica – PNAB 2017, que traz previsão de competências de agentes comunitários de Saúde conflituosas com a legislação.
“Essas atividades serão exercidas exclusivamente por agentes com formação técnica em Enfermagem. Atualmente, há mais de 100 mil agentes comunitários da Saúde nesta situação. Pretendemos qualificar todos os agentes, assegurando que, em um prazo de cinco anos, tenham formação técnica em Enfermagem”, afirmou Barros.
O presidente do Cofen apresentou propostas de reformulação na PNAB, incluindo o aumento do número de enfermeiros nas equipes da Estratégia de Saúde da Família, norteadora da PNAB. O ministro afirmou que pretende recomendar, em Portaria, que as equipes sejam preferencialmente gerenciadas por enfermeiros e que, nestas equipes, haverá um segundo enfermeiro integralmente dedicado à assistência.
“Atividades serão exercidas exclusivamente por agentes com formação técnica em Enfermagem”, afirmou ministro
Risco à Saúde Coletiva – Manoel Neri manifestou sua profunda preocupação com o Projeto de Lei Complementar 56/2017, que amplia as atribuições dos agentes comunitários de Saúde. Aprovado pelo Senado ontem (13/9), com reformulações, o projeto seguiu novamente para a Câmara dos Deputados.
“O PLC 56/2017 chega ao absurdo de incluir, entre as atribuições dos agentes de Saúde, procedimentos como a aplicação de vacina, sem competência ou formação técnica específica, prevendo apenas uma capacitação inicial de 40h. É um risco à Saúde da população”, alertou. O ministro solicitou ao Cofen nota técnica sobre o tema e se comprometeu a buscar alterar o projeto na Câmara dos Deputados.
A vice-presidente Irene Ferreira, a conselheira federal Nádia Ramalho e a procuradora-geral do Cofen acompanharam o presidente na audiência.
Rediscussão da PNAB 2017 – O Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) confirmaram presença na plenária do Cofen em 25 de setembro, para debater a PNAB. Será convidado também o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems).

“Atividades serão exercidas exclusivamente por agentes com formação técnica em Enfermagem”, afirmou ministro
Risco à Saúde Coletiva – Manoel Neri manifestou sua profunda preocupação com o Projeto de Lei Complementar 56/2017, que amplia as atribuições dos agentes comunitários de Saúde. Aprovado pelo Senado ontem (13/9), com reformulações, o projeto seguiu novamente para a Câmara dos Deputados.
“O PLC 56/2017 chega ao absurdo de incluir, entre as atribuições dos agentes de Saúde, procedimentos como a aplicação de vacina, sem competência ou formação técnica específica, prevendo apenas uma capacitação inicial de 40h. É um risco à Saúde da população”, alertou. O ministro solicitou ao Cofen nota técnica sobre o tema e se comprometeu a buscar alterar o projeto na Câmara dos Deputados.
A vice-presidente Irene Ferreira, a conselheira federal Nádia Ramalho e a procuradora-geral do Cofen acompanharam o presidente na audiência.
Rediscussão da PNAB 2017 – O Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) confirmaram presença na plenária do Cofen em 25 de setembro, para debater a PNAB. Será convidado também o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems).

BYA ACS

Montagem criada Bloggif

Total de visualizações de página

▲ Topo